O tempo, talvez

5 de out de 2013
Andei me peguntando por qual motivo fiquei tão longe daqui. Foram tantas respostas. Eu sempre fui muito verdadeiro comigo mesmo, com as minhas palavras  e com tudo o que escrevo aqui no blog. Estaria mentindo se o meu tempo estivesse totalmente livre e finalmente eu pudesse me dedicar mais, escrever como há dois anos atrás e ser e sentir o que eu sentia antes.

A verdade é que em relação ao meu cotidiano, nada mudou. É como se eu estivesse preso no tempo. Eu ando muito focado nos cursos que estou fazendo e nos estudos (eu sei que isso já está ficando chato e repetitivo mas é a verdade). Isso por um lado é bom, por outro ruim e no fim das contas eu só vou poder saber o resultado no futuro. Soma-se a isso o fato de que mudei. É, mudei. Mudei de opiniões, de ideias, de atitudes. Talvez agora eu esteja muito mais humano do que poético ou talvez eu tenha perdido um pouco do meu "eu poético" com esse ano de estudos e estágios em hospitais.


Posso estar errado. Pode até ser apenas uma questão de tempo. O fato é que estagnei num período diferente e tudo agora parece diferente. Eu acho que ainda preciso de muito tempo para respirar e organizar as ideias. Escrevi alguns textos recentemente e simplesmente  não consigo encaixá-los aqui. Parece que eles não combinam. Um deles comecei a escrever há exatos 9 meses e até hoje não consegui criar um final. 

A situação está tão complicada que esse post na verdade seria sobre um texto que apareceu na prova de português de um concurso público que fiz recentemente e não sei por qual razão as palavras se transformaram nisso que mais parece uma página de diário.


Não quero imaginar coisas. Vamos ser práticos. De vez em quando é bom ser assim e tentar visualizar o lado concreto das situações. Eu escrevi aqui porque estava com saudades. Ponto final.

-Helio Filho


5 comentários:

  1. Difícil comentar alguma coisa sobre isso, principalmente quando quem está comentando também não se encontra muito bem das palavras, como é o meu caso. Acho que consigo entender o que você sente, ou sentiu enquanto escrevia e mesmo sabendo que foi complicado pra você, devo dizer que gostei, gostei muito! Estava com saudades de "ler" você aqui.

    Beijos, my best.. Eu te amo! ♥

    ResponderExcluir
  2. Amigo lindo, você mesmo tentando não ser poético consegue ser poético. Será que estou enganada? De qualquer forma, gostei das suas expressões, parece um texto que li da Clarice Lispector, você me faz lembrar dela. Permaneça no seu tempo, na sua hora. O seu eu poético voltará quando as coisas voltarem ao normal. Elas mudam e acontecem na hora e momentos certos, tenha certeza disso! O que vc está plantando hj colherá no futuro. Saudade enorme daqui!

    ResponderExcluir
  3. Que bom que você gostou do meu poema Mude.
    Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.
    Que, aliás, não é de Clarice Lispector.

    Se puder, veja o poema todo, assim como o vídeo e o livro Mude, publicado pela Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra, e à venda nas maiores livrarias.

    E o vídeo Mude pode ser visto aqui, no Comercial da Fiat:
    http://www.youtube.com/watch?v=-IwFkGLRKps
    Ou aqui:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=KlP9XpjVsas

    Devidamente registrado na Biblioteca Nacional do Ministério da Cultura – Registro 294507 – Livro 534 – Folha 167 – em 04/08/2003.
    A Revista Veja publicou matéria a respeito: http://veja.abril.com.br/090703/p_103.html
    Além disso, tal poema também já foi publicado por Pedro Bial na faixa 4 do CD Filtro Solar.
    Até o “mago” Paulo Coelho tem plagiado este meu poema, tanto no Twitter, quanto no Facebook, e em vários jornais e revistas, do Brasil e do exterior, como se pode ver aqui: http://mude.blogspot.com.br/2011/04/paulo-coelho.html

    Mais detalhes em http://Mude.blogspot.com

    /// Para o poeta, o importante é encantar o coração do leitor. Mesmo que este suponha ter sido encantado por Clarice Lispector ou Paulo Coelho...

    Compreenda-nos pela extensão do comentário, mas é que, além de esclarecer o fato, gostaríamos de saber onde foi que você viu que é “de Clarice”? Pois queremos passar a informação correta também a essa pessoa, para evitar que tal erro de autoria seja ainda mais disseminado.

    Abraços,,,

    ResponderExcluir
  4. Que saudade de ler seus posts Helio!
    Adorei a sinceridade das palavras, vc como sempre mto verdadeiro e profundo. Imagino como deve estar sendo seu cotidiano, todos nos entendemos essa falta de tempo, esse momento distante. Acho que é uma questão de tempo, quando essa fase passar logo logo vc voltará a escrever e recuperar o seu "eu poético", afinal a poesia nunca morre,sempre está viva em todos nós. Se cuide querido! Ps: Fiquei curiosa pra saber do q se trata o texto do concurso, vc poderia postar depois né?
    Bjooos!

    ResponderExcluir
  5. Todo mundo um dia passa por essa fase Helio. Entendo perfeitamente. Siga seu tempo, seu instinto. Escrever não é fácil, ainda mais quando se está estudando para um vestibular tão concorrido e fazendo outro curso ao mesmo tempo. Logo o tempo passará e vc estará livre disso, tenha certeza. As melhores inspirações surgem nas melhores horas :)

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe um comentário! Sua opinião é muito importante pra mim :)

| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo