Entre Ventos e Outros Infinitos

16 de set de 2012
Eu espero que os ventos sempre escrevam novas histórias a cada dia. Não uma qualquer, porém várias, divertidas, alegres, profundas, em que possamos aproveitar ao máximo os raio de sol que surgem lá fora e que tantos nem notam, preocupados com suas obrigações.  E mesmo que tudo me faça voltar para a terra, continuo andando descalço pelos jardins e vejo uma infinita luz que cobre meus olhos, sufocando meus pensamentos, fazendo com que eu pare para sentir o mundo. Eu respiro cada vez mais forte, correndo pelos oceanos transparentes, rodopiando pelos versos que escrevo, sendo cada vez mais lúcido e confiante. O tempo é perfeito. O que vi sempre me fez mal. Mas agora as coisas começam a se encaixar perfeitamente e numa onda repentina de palavras que me atinge fica uma frase que sempre gostei: “Seja feliz, independente de tudo”. Buscar a felicidade nada mais é que encontrar em sí mesmo os verdadeiros motivos que te fazem existir. Evoluímos a cada dia simplesmente porque fazemos e aprendemos com os erros, mesmo que seja tarde demais. Mesmo que as histórias nunca sejam escritas de forma correta e os ventos cansados mudem sem querer suas trajetórias. Mesmo que a cidade habitada por seu coração fique nublada todos os dias e seus olhos nunca possam enxergar o sol. Ainda temos todo o tempo do mundo para mudar, acordar e buscar por novos  e infinitos ventos.


Basta senti-los.

-Helio Filho
| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo