...

29 de mai de 2012


"Sabe qual é a prova de que se está feliz? Quando você não precisa provar isso pra ninguém."

Fernanda Estellita

Lembranças

20 de mai de 2012

Inalo a nuvem no meu corpo.
Deito na grama úmida do jardim. Espero o momento em que me devo deixar ir. Sem sentir, meu coração viaja léguas e a distância fica pequena quando enfim nossas lembranças voltam, mesmo que por poucos segundos, à  minha mente.

Sorrio para mim mesmo. O vento faz minha alma mais leve. Tudo era tão importante quanto o fato de nós pordermos existir, sermos o que somos. E os caminhos mudaram, assim como o tempo, que de vez em quando faz o céu ficar mais azul.

Agora eu vejo vocês de longe. Daqui da grama úmida do jardim.

Fiquei a vê-los se afastar.
De mim.
Helio Filho

Cidade fingida

17 de mai de 2012




Naquela cidade os sonhos ficavam nas árvores e as pessoas nunca dormiam. Lá fora fingiam que eram fortes e a alegria parecia eterna. Tudo era motivo pra rir, enquanto suas vidas passavam tristes no entardecer. Todo dia o vento adentrava as casas, mas era impedido de permanecer lá dentro. A propósito, chorar também era proibido. E dentro das casas eles permaneciam quietos, mudos, esperando que a chuva caísse e enfim molhasse a terra. Música seria ouvida, um sorrido seria formado. E quando não tinham mais nada para fazer, formulavam seus sonhos, imaginando coisas , mundos fantasiosos.

Como eu queria abrir aquelas portas e deixar a luz do sol entrar. Retirar a tristeza dos seus olhos, fazer com que enfim parassem de fingir. Eles não me enganavam mais.

Eles não falam comigo.

Helio Filho

Arquitetos do nosso destino

16 de mai de 2012

"Somos os arquitetos do nosso destino, pois nascemos para educar nossos espíritos e para evoluir. No momento em que entendermos que ninguém pode nos fazer felizes ou infelizes e que somos nós os únicos responsáveis pelo nosso sucesso ou fracasso; alegria ou tristeza; saúde ou doença; céu ou inferno, assumimos a responsabilidade pela nossa existência, e vamos a luta para realizar nossos projetos, e buscar nossa felicidade."

(Anita Godoy)

Cisnes

1 de mai de 2012



Eu mergulho no infinito e vejo a luz que sai de mim, desnorteada com o tempo, perdida com tantas escolhas. Vejo o mundo de longe como uma estrela perfeita girando ao meu redor, rindo de cada ser que está em sua terra e ao mesmo tempo séria por eu não poder estar nela. Porque eu voo por onde passo e a cada esquina derramo os meus sonhos. Não sou como o mundo, sempre do mesmo jeito, girando em si mesmo, ficando no escuro quando se afasta do sol. A cada passo dado, corro em direção ao futuro longe de mim, incompleto pelos ventos, a procura de apenar ser o que ainda busco.

E transformam-se as horas junto com o tempo. Pessoas ficam distantes, seus rostos desfiguram-se, aos poucos me vejo sozinho em um mundo completo de cisnes, brancos, quase perfeitos, girando em um lago azul. No céu, as estrelas são os tesouros mais preciosos, nossos sonhos que envoltos por uma camada fina de esperança brilham mais que a lua. O tempo frio das noites nos dá a sensação de equilíbrio que perdemos, quando a água estática reflete o que antes parecia tão longe.

Percebendo as estrelas ficarem cada vez mais distantes, aos poucos e sem querer meus olhos derramam lágrimas. A saudade dói, como rimas quebradas, desconstruídas. Os pensamentos retornam à mente, frágeis, querendo encontrar a felicidade imaginada. Não durmo. As estrelas ainda me perturbam. Não choro, procuro as pessoas que me fazem sorrir.

E a vida segue, a dor passa, tudo vira um novo e azul céu. Os ventos chegam, levam o que antes não fazia bem, quebram as paredes que sufocam os sonhos. Mergulho então no lago, conheço os cisnes ao meu redor, construo aos poucos minha própria constelação. E caminho rumo ao destino, conhecendo um novo mundo, evoluindo a cada passo, com novos pensamentos que me completam e certo de que minha essência, ao contrário dos cisnes, não mudou.

Helio Filho

| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo