Sábias Frases De Meredith Grey

27 de jan de 2012
Quem nunca ficou encantado com  Grey's Anatomy que atire a primeira pedra! Não é à toa que esse maravilhoso seriado faz tanto sucesso pelo mundo e já está caminhando para a 9ª temporada.  Fã incodicional, sempre assisti todos os espísódios para acompanhar a vida dos médicos e residentes do Hospital Seattle Grace, suas loucuras amorosas, seus comportamentos frente as adversidades cotidianas e as lições de vida dos pacientes. É muito legal, são risadas e aprendizagens garantidas!

Embora o roteiro do seriado me encante muito, já que a roteirista Shonda Rhimes a partir de uma ideia principal consegue "amarrar" o episódio inteiro do começo ao fim, as ideias e citações da protagonista Meredith Grey são os elementos que acho principais da trama. Sempre me identifico muito com suas frases e até quelas que são totalmente diferentes pra mim, no final das contas me provocam muitas reflexões. É uma verdadeira lição.

Desta forma, resolvi selecionar algumas frases da Meredith e postar aqui no blog! Quem nunca assistiu aposto que vai ficar morrendo de vontade!

Entrevistando Os Ganhadores Da Promoção Natal#3anosDoBlog

20 de jan de 2012
Pensando em conhecer mais os ganhadores da primeira promoção (que por sinal foi muito legal) que aconteceu no mês passado aqui no blog,  resolvi  então entrevistá-los com perguntas sobre diversos assuntos!  Assim não  só eu como vocês também poderão conhecer um pouco mais sobre esses sortudos e ficar por dentro dos seus trabalhos no mundo dos blogs!

 Antes de mais nada gostaria de agradecer imensamente a todos eles:  Michelle Silveira, Aline Emerick e Jeann Diniz. Obrigado por terem respondido as entrevistas, pelo carinho e  pela paciência. Não imaginei que seriam pessoas tão legais e inteligentes! Gostei muito mesmo de vocês e dos blogs! Muito sucesso este ano!!

Como as entrevistas são longas, irei postá-las separadamente em dias diferentes. Hoje será a entrevista da primeira sorteada, a Michelle Silveira que ganhou o livro de Walcyr Carrasco "Estrelas Tortas". A Michelle mora em Brasília e é Técnica Administrativa da Secretaria da Criança . Confiram!

Agora Escrevo De Cara Nova

13 de jan de 2012

Começar o ano com mudanças é sempre bom né? Pensando nisso e enjoado do antigo layout do blog hoje resolvi mudar a cara do Agora Escrevo e deixá-lo mais "clean" e com aparência mais séria. Não é novidade nenhuma a minha inconstância em trocar os layouts, principalmente quando entro nos sites e vejo milhares para baixar sendo que nenhum nunca me agrada. Hoje finalmente encontrei um que estava procurando há muito tempo. Além de ser bem simples e fácil de ler.. é muito agradável!

Novos Pensamentos

12 de jan de 2012

 Era uma mistura de amor e ódio ao mesmo tempo. Tudo havia mudado. Seus pensamentos finalmente haviam se libertado daquele quarto escuro, retirando então as vendas que lhe cobriam os olhos umedecidos de lágrimas. Ele agora enxergava tudo. Um azul no céu aparecia como um raio estridente, vindo de tão longe, ventos distantes, talvez do seu coração. E aquele rosto imperfeito fugia de sua mente vazia e simplesmente se afastava ficando cada vez mais longe e distante, vazio de sentimentos, sem rimas ou palavras. Não ouvia nada, nem falava. Apenas via tudo de longe, deitado na cama, olhando pro teto escuro do quarto. Era uma sensação estranha, como se alguém arrancasse o amor de seu peito, feridas abertas vindas das profundezas do seu eu, afloravam agora vivas, num turbilhão de tristezas sem fim. Mas ele não deixou que tudo fosse embora junto com as lágrimas. A coragem ainda estava adormecida no seu corpo e a luz do sol ainda brilhava lá fora. Bastava levantar. Sair daquele quarto  e andar em direção ao destino. Fugir numa brisa constante e encontrar novamente tudo o que perdeu. E no fim do dia, o primeiro passo foi a certeza de que tudo  poderia mudar, ainda que levasse algum tempo. 

Ele ainda tinha a sí.

Helio Filho
Setembro de 2011

Memórias De Uma Noite Estrelada

6 de jan de 2012



E então decidi que iria correr. Correr muito e ir em direção ao mar. Mergulhar nas águas profundas do atlântico e esquecer o mundo por alguns segundos. E renovado por dentro, caminharia rumo ao destino que acontecia, mesmo quando o pôr-do-sol aparecesse para escurecer meu céu. Então lembrei que as estrelas no fundo sorriam pra mim, como se quisessem dizer algo como “ainda tem uma luz que olha pra você”. E foi assim que vi a luz que olhava pra mim, junto de outras que olhavam pra alguém que estava em outro cantinho do mundo. Simples como o som dos ventos que cortavam o mar, iluminando a tarde que ia embora. Depois de algum tempo o céu era um mundo cheio de pontos luminosos e o mar era um poço negro onde as ondas agitadas fugiam para venerar a lua. Livre de tudo, com a mente limpa das incertezas, os pés no chão, caminhei firme pensando no que poderia mudar e no que tinha mudado. Deixando passos apagados pra trás e olhando para outras direções. Rindo de tudo como meras lembranças já decifradas, esquecendo rostos que no fundo eram só espelhos partidos que ainda direcionavam raios de sol que, insignificantemente, se apagavam para mim. Respirava verdadeiros sentimentos, sozinho quando a rua movimentada de carros explodia vidas que tinham significados. O meu já era próprio de mim e a certeza de abstraí-lo correu ao meu ser quando enfim parei de olhar para os lugares errados, isto é, fora de mim.

Ah como o tempo era uma questão de existir. Sentado em um banco via pessoas passarem por todos os lados e junto delas suas vidas cheias de luz. Imaginava como seria conhecê-las e poder por algum momento ter suas amizades. Novas palavras seriam ditas, novas sensações, novos valores, novos olhares. E num fim de tarde calmo estaríamos reunidos falando sobre a vida e vivendo momentos bons, simplórios por si, valiosos como um todo. Os carros e as pessoas iam embora, desaparecendo em um horizonte próximo enquanto as palavras aos poucos tornavam-se baixas e nostálgicas. Eu via o mundo e suas cicatrizes que o tempo levava. Coberto como uma rede de sonhos, ele era uma jóia lapidada por poucos: aqueles que sabiam viver. Vivendo seus dias sem nenhum medo de serem felizes, aventuravam-se nos caminhos da vida, sempre procurando pelos sorrisos que só a felicidade poderia dar. Eram essências que somente os pássaros encontravam ao riscar o azul do céu, livres no amanhecer do dia, certos de que viveriam outros momentos únicos. “Ventos nunca são os mesmos, trazem consigo novas lembranças - novos cheiros". Esperanças de um dia melhor, a cada passo dado, na certeza de apenas ser.

O dia amanhecia simples, as pessoas continuavam andando e o sol agora direcionava seus raios igualmente para todos. Estes eram vivos e fortes. Impulsionavam a vida, davam a coragem de seguir em frente. Quando a tarde chegou aos poucos as estrelas novamente surgiam no céu para me vigiarem. Não reparei - no entanto - que os pássaros as seguiam, voando em direção a um infinito belo...

“Eles queriam libertá-las assim como eu estava livre para ser feliz”.

Helio Filho
| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo