Persona

30 de set de 2011

Ultimamente tenho assistido muitos filmes. Alguns legais, outros não muito, mas sem dúvida nenhum me causou tanto impacto como Persona, do Ingmar Bergman. Algumas pessoas, principalmente professores já haviam comentado sobre esse filme há algum tempo e eu nunca tinha assistido, porém há algumas semanas atrás assisti na aula de direção de atores  e foi incrível, com certeza já entrou na minha lista de filmes preferidos!

Persona nos instiga a pensar e refletir. Cada cena tem um papel fundamental na história e enredo no filme, e isso na minha humilde opinião é o mais legal de tudo. Com uma fotografia extremamente bela e algumas vezes ousada, com elementos diferentes e criativos, o filme conta a história de Elisabeth que  é uma atriz de teatro que após uma apresentação decidiu calar-se e nunca mais falar nada. Desde então, ela fica muda e vive num hospital, onde conhece Alma, a enfermeira que passa a cuidar dela. 

Um dia

27 de set de 2011
Era um dia especial. O sol aparecia calmo por entre as nuvens, de longe podia-se ouvir o barulho de carros nas estradas e um vento frio entrava pela parte aberta da janela, bagunçando os seus cabelos lisos. Tinha acabado de acordar, no rosto um sorriso sincero mostrava um nervosismo atípico da sua personalidade calma, virginiana. Por alguns instantes permaneceu deitado no colchão. Respirava fundo e não conseguia manter os pensamentos longe das suas memórias. Como alguém que não conseguia acreditar em contos de fadas e histórias de amor, a vida lhe dera o presente que tanto almejava, envolto de surpresas, medos e o mais importante, felicidades. O dia havia chegado, com ele momentos que seriam inesquecíveis, sons que jamais sairiam de sua cabeça, um dia esperado por anos.

...

18 de set de 2011


-Honestamente, se você não está disposto a parecer estúpido, você não merece estar apaixonado.

(Do filme: De repente é amor)

...

17 de set de 2011


E voe,
caminhe,
respire,
reflita,
consiga,
faça,
você
real.


Helio Filho

Avril Lavigne - Wish You Were Here

9 de set de 2011
"Um início que já mostra uma Avril vulnerável. Ela tenta nos mostrar que ela pode ser durona quando sofre, mas não consegue mais. No primeiro minuto do vídeo já é quase impossível não se emocionar com a Avril que cai no choro mostrando um coração que traz muita dor e saudade. Ela nunca se expôs tanto num clipe e talvez nem tanto em uma música. WYWH pra mim é um clipe extremamente emocional, nada racional. A emoção ultrapassa e quebra o que todos os outros videoclipes da atualidade têm pra mostrar. Em um único cenário, ela descarrega toda a emoção que sente por alguém que está longe dela.Quem não sentiu vontade de ultrapassar a tela e ir ao seu encontro para dar um apertado abraço quando ela chora clamando "I wish you were here..."?
| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo