Rosas desafinadas

16 de dez de 2010

O dia era uma mistura de primavera e outono, o sol aparecia tímido por entre as árvores e de vez em quando um sabiá cantava para alegrar aquela rua pacata. Ouvia um barulho de longe, enquanto algumas crianças brincavam alegres no jardim. Mas o som aos poucos foi se transformando em pequenas lembranças, sentimentos contidos de um ser que agora vira o tempo passar. As crianças corriam, brincavam na grama úmida de um dia que nunca teria fim. E o ser triste, apodrecido em um banco de madeira sujo agora era um rastro melancólico da dor física do tempo. O tempo que nunca mais voltou e o mesmo tempo que passava enquanto suas nostálgicas sensações apareciam na sua mente. Eram gargalhadas inocentes, fantasiosos sinais de um tempo em que tudo era uma simples brincadeira. Um tempo que deveria ser eterno e nunca acabar. Lembrava dos seus sonhos, das suas músicas preferidas e daquele seu jeito de ser. Das brincadeiras feitas com os amigos, das travessuras das tardes de domingo, dos primeiros conhecimentos na escola. Lembrou dos lugares por onde passou, de uma tarde de inverno chuvosa onde seu conforto estava no abraço forte de seus avós. Dos amigos que um dia conheceu, mas que hoje em dia haviam partido e seguido rumos completamente diferentes. Como tudo havia mudado e como o tempo passara depressa. O mundo parecia diferente agora. Sua real certeza era de que seu tempo havia acabado e um novo mundo surgira para ocupar aquele que nunca teria um fim. As crianças brincavam alegres enquanto suas mães satisfeitas vigiavam seus pequenos seres. Nesse momento uma lágrima triste descera e molhou a terra seca. Não sabia o por que de estar chorando no meio daquela praça, em um dia lindo que ainda estava começando. Apenas ouvia o som de rosas desafinadas, alegres, compartilhando entre si a trilha da vida que apenas começava a brotar.


Helio Filho

10 comentários:

  1. Q lindo amigo!
    Enquanto lia, pude até imaginar as cenas, mt bom mesmo, adorei!

    Bjãoo :*

    ResponderExcluir
  2. Adorei Helio! Mto lindo..
    São tempos que realmente não voltam mais1 A infância deveria ter eterna mesmo, tenho muitas saudades da minha e com certeza foi a melhor época da minha vida!

    Bjo!!

    ResponderExcluir
  3. daora o post bem legal parabens

    http://planetahuumor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Lendo o seu post, me bateu uma saudade :(
    realmente, não tempos que não voltam mais, e só ficam guarados nas minhas lembranças e em fotografias. Lindo, lindo, lindo!

    Passa lá também,
    http://estude-me.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Belo texto, é de sua autoria?
    se for está de parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Obrigado gente! Fico mto feliz q tenham gostado do texto! :P

    Antonoly o texto é de minha autoria sim!
    Obrigado!
    abraços ^^

    ResponderExcluir
  7. Aii q saudade da minha infância! Das minhas bonecas, das minhas histórias1 Época boa q n volta mais! Parabéns pelo post, simples, lindo!

    Bjinhus

    ResponderExcluir
  8. nossa, vc escreve de um jeito que parece que estamos realmente vendo tudo isso aí que vc escreveu, de tão rico nos detalhes rsss

    parabéns

    ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
    comentei... comente vc tmbm no nosso blog
    ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
    quer ganhar um seguidor?
    siga-nos e avise no comentário
    deixando o seu link
    ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
    http://mikaelmoraes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Mto fofo! Lindíssimo! Me deu uma nostalgia tb hahahahah Mta saudade dessa época!
    :**

    ResponderExcluir
  10. Lindo texto! parabééns..!
    me visita?..
    tow te seguindo..

    http://jogando-de-saltoalto.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe um comentário! Sua opinião é muito importante pra mim :)

| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo