A vitória do messias da intolerância

2 de abr de 2010

Pra quem raramente assiste TV (meu caso), acompanhei bastante o BBB 10. E, claro, me arrependo. É sim uma total perda de tempo. Não é divertido, não entretém, seguramente não é sinônimo de inteligência, e está repleto de gente que não me interessa nem um pouco. Então, por que vi esse troço? Porque comecei a seguir, mais pela curiosidade em ver a Twitess (eu, que nem tenho Twitter, sabia que ela era conhecida no meio), uma doutora, a Elenita, e uma drag queen, o Dicesar. E meio que viciei, apesar de não torcer por ninguém.

Mas o assunto é, de novo, o Dourado. Desde o comecinho do programa, ele me pareceu o suprassumo da estupidez. Tudo que eu detesto numa pessoa reunido num só pacote: antipatia, pouco senso de humor, falta de modos (cuspir e arrotar o tempo todo é bem nojento), e, acima de tudo, preconceito. Muito preconceito contra gays e mulheres. Pouco depois descobri que ele tinha uma suástica no corpo. Foi a cereja no milkshake. Se ele tivesse sido indicado nos dois primeiros paredões, provavelmente teria saído. Não pelo seu preconceito explítico, mas pelo público não ter aprovado a inclusão de dois antigos participantes. Porém, ele foi ficando, cativando uma torcida fanática, e, lá pelo meio da edição, já era favoritíssimo ao prêmio de 1,5 milhão. Foi previsível.
Mas como um cara desses agrupa uma torcida tão grande? Considero que ele virou porta-voz de gente que sempre foi preconceituosa, mas ultimamente não se sentia tão livre para expor seu preconceito. Daí veio essa história de “Orgulho Hétero”, de que, no fundo, homens héteros são mais discriminados do que gays.
Esta semana tive uma discussão com alguns alunos de uma turma pra que dou aula. Eles acreditam piamente que o padrão desejável, o homem branco hétero, é vítima de preconceito. Os exemplos que dão? Ah, se um hétero for a um bar gay, ele será maltratado. Primeiro que essa afirmação é altamente discutível, eu respondi (tá cheio de héteros que adoram frequentar bar gays, e duvido que se fossem torturados lá dentro, continuariam indo). Depois que seria preciso um deslocamento do homem hétero para um lugar específico para que talvez houvesse discriminação. Mas, para uma minoria, não é preciso deslocamento algum. O preconceito acontece no seu dia a dia, no seu habitat.
Outra coisa que alguns dos meus alunos acreditam é que o ser humano é naturalmente preconceituoso. Se os gays dominassem o planeta, afirmam eles, os homossexuais discriminariam os héteros. Eu adoro esses exercícios de futurologia! Mas, antes de partir pra ficção científica, que tal se focar na realidade? Bom, a realidade, pra eles, é que é perfeitamente possível uma minoria dominar uma maioria. Pra exemplificar, eles não citam qualquer elite, mas a Alemanha de Hitler (?) e a minoria branca na África do Sul. Eu nem entendo as comparações: eles estão insinuando que os gays representam uma minoria que já domina o mundo de maioria hétero? Sim, segundo uma aluna: hoje em dia nem dá pra saber quem é gay e quem não é, e todo mundo é bissexual.
A vitória dourada no BBB é uma coroação desse tipo de pensamento.
O discurso é um tanto contraditório. Para muitos, simplesmente não existe mais preconceito contra gays, mulheres, negros e outras minorias, então parem de reclamar, pô (minha aluna viu Milk, gostou, e acha que, naquela época, a luta contra a homofobia tinha razão de ser, mas hoje?! Eu esqueci de lembrar que, só no Brasil de hoje, um gay é assassinado a cada dois dias). Para estes, se existe preconceito, ele é contra o homem branco hétero (de um comentarista do Terra: “Existe muito preconceito neste país, mas prefiro o lutador a coisa que Deus não criou”). E eles sentem-se profundamente ofendidos ao serem acusados de homofobia. Retirei este comentário do portal Terra sobre o BBB: “Tão pior que ser homofóbico, é acusar alguém de homofobia, usando sua opção sexual para prejudicar uma pessoa”. O lado bom é que homofobia virou um insulto. O lado ruim é que ninguém é visto como homofóbico mesmo. Homofobia é ficção de gente com complexo de perseguição, sabe?
Dourado representa essa total inversão de valores. O homofóbico é o perseguido. Pra ajudar, alguém de sua família espalhou que Dourado tem trauma de gays e travestis porque ele e alguns amigos foram espancados por um grupo de travestis. Pois é, não são os pitboys que espancam travestis, é o contrário! Um comentarista deu sua opinião: “Se ele apanha de gay, então ele é gay ao quadrado”. Outro decretou: “É gente do tipo do Dicesar que faz aumentar a homofobia no Brasil”. Entende? Não é gente do tipo do Dourado e seus seguidores (que escrevem coisas como “Odeio gay sim, e daí? Não pode?!”) que fazem aumentar a homofobia, mas os próprios gays. Afinal, se a homossexualidade não existisse, não haveria motivo para homofobia! Por esta ótica, Dicesar é culpado pelas 11 mil ameaças que recebeu na internet. Eu não li essas ameaças, mas colhi alguns comentários da Máfia Dourada:
- “Começou tropa. O mestre atirou a boneca rodou”.
- “Hei hei hei. Dourado vai ser rei. Dicesar é um baita gay”.
- “Valeu tropa! Nossa honra esta salva, porque macho é macho, e gay é resto. To rindo a toa destas frangas, kkk”.
Quem acha que Dourado não é homofóbico pode responder: se ele não é, por que atrai gente tão preconceituosa? Dourado tornou-se um líder, digamos, espiritual, para esse pessoal que se julga perseguido. Mensagens como esta são clichê: “Dourado é nosso mestre e a ele obedecemos, Dourado força e honra ... estamos contigo...”. Estão com ele pra quê? Contra quem? Alguns apelam pra religião, inventando um messias: “Quem trouxe o Dourado de volta e fez toda essa ordenança foi Deus. Ele zela por cada filho, mesmo os ditos 'Sem Fé' e faz sua graça na hora certa. [...] Um novo Dourado nasceu de vocês, por vocês! O Brasil unido pode, nós estamos provando que podemos não só para o BBB, mas para tudo que queremos na vida”. Tenho até medo: o Brasil unido por um sujeito com tatuagem de suástica pode o quê, exatamente?
Mas sinto que este comentário diz tudo: “Quem nunca cuspiu? Quem nunca arrotou? Quem nunca falou um palavrão? O Dourado apenas fez na TV o que as pessoas fazem de maneira privada porque elas têm medo dos que os outros vão pensar”. Pois é, não precisa mais ter medo do que as pessoas vão pensar dos seus preconceitos. Pode arrotá-los à vontade na TV, em horário nobre, e ainda receber uma bolada de dinheiro por eles. Os bons tempos voltaram, vamos gozar outra vez.

Por LOLA

2 comentários:

  1. Concordo plenamente com o que ela disse!
    Pareçe q roubou as idéias da minha mente. Odiei que esse Dourado ganhou, homofóbico, nojento,preconceituoso e idiota. Mas claro que temos q colocar o dedo da globo no meio pq ela com certeza deve ter manipulado os votos!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza a globo manipulou! Não é possível que um homem desses ganhou pela maioria dos votos. A vitória de dourado é assunto mais comentado ultimamente aqui na região é todos dizem q foi armação e tals. Ninguém gosta dele pelo simples fato de ele ser homofóbico e nojento! Foi o bbb mais injusto de todos.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe um comentário! Sua opinião é muito importante pra mim :)

| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo