Cachoeira

31 de mar de 2010

Como prometi, um post falando sobre a cidade onde situa-se minha Universidade.


Cachoeira é considerada uma das jóias do patrimônio histórico brasileiro, com lindos casarões e igrejas riquíssimas – algumas delas do barroco tardio. Situada no Recôncavo Baiano, às margens do Rio Paraguaçu, a cidade teve seu apogeu econômico nos séculos 18 e 19, quando seu porto era utilizado para escoamento da produção de açúcar e fumo para a Europa. Também destaca-se por ser um importante centro da cultura afro-brasileira.

A cidade da Cachoeira tem muita história pra contar. Em 1531, na expedição de Martins Afonso de Souza, estava o fidalgo português Paulo Dias Adorno, que ficou na Bahia com o objetivo de colonizar e iniciar o plantio de cana-de-açúcar. Adorno, juntamente com Rodrigues Martins, buscou exatamente as terras à margem esquerda do Paraguaçu, onde poderia sem dificuldades entrar e sair com suas embarcações. Esta era uma região privilegiada para o plantio.

Localizada às margens rio Paraguaçu, no Recôncavo Baiano, a cidade encontra-se em uma região privilegiada para o plantio. Desde o início, desenvolveu a cultura da cana-de-açúcar e do tabaco, produtos de exportação que impulsionaram o potencial econômico da cidade. O impulso ao progresso deu-se pelo privilegiado Porto da Cachoeira, que fazia a ligação entre o Recôncavo e o Sertão na união das riquezas: gado e ouro.

O comércio crescia rapidamente, tornando Cachoeira a cidade mais rica, populosa e uma das mais importantes do Brasil, posição que manteve até meados do século 19, com uma ativa participação na vida política do Império. Em 1885, uma ponte metálica passou a ligar Cachoeira à cidade de São Felix, localizada à margem direita do rio por órdem de Dão Pedro II.

Devido a sua intensa participação política, tornou-se conhecida como Cidade Heróica, pela coragem e audácia de seus filhos que muito lutaram pela Independência da Bahia e do Brasil. No ano de 1971 recebeu como título Cidade Monumento Nacional.

A significativa presença de africanos e afro-descendentes em interação com europeus de variadas nacionalidades em Cachoeira durante o período escravista, é um dos fatores que originou a riqueza e diversidade da cultura popular em Cachoeira. Esta interação encontra-se presente no sincretismo religioso com forte presença da cultura afro-brasileira e das manifestações do catolicismo.

Dueto

29 de mar de 2010
Eu, antônimo de mim
Fadado a ser só eu
Pro resto do meu fim
Eu encontro você
Disposto a um sim
Gratuito como deus
Cifrado enfim

Eu, que contei os passos
Por onde andei
A te procuar
Eu, que vivi o tédio
E grito apaguei
Esqueci de amar

Hoje, sonho de fato
Sempre em dueto
Eterno contrato
Na mesa uma vela
E dois pratos
Na dúvida uma peça
Em dois atos

Disfarçando passo a passo
O pano que esconde o meu espaço

Na cama duas pernas e um verso se entrelaçam
Quatro mãos em duelo se abraçam

Na cama duas pernas e um verso se entrelaçam
Quatro mãos em duelo se abraçam

Dueto- Banda Matiz

Essa letra é de uma banda de Salvador chamada Matiz. Gosto muito dessa música. Vale a pena conferir o videoclip dela no youtube! Fica a dica :*

The first day

26 de mar de 2010
O primeiro dia de aula na universidade foi bem interessante. Eu estava muito nervoso e ansioso, afinal estava prestes a entrar em contato pela primeira vez com pessoas que nunca vi na vida em um lugar que nunca estive antes numa cidade distante da minha. Milhões de idéias passavam por minha mente, ficava imaginando quem seriam as pessoas, os professores, como seria a Universidade, aquele ambiente estranho pra mim.
Enfim. Tive que pegar uma Van (aqueles veículos que transportam pessoas, não sei se onde você mora eles são chamado dessa forma, aqui por exemplo chamamos de besta ou van porém há lugares com outros nomes) bem cedo e viajei em direção á Cachoeira, a cidade onde esta situada a universidade. Cachoeira é uma cidade histórica que participou da independência do Brasil. A cidade é muito visitada por turistas de diversos países. Lá encontram-se construções muito antigas, inclusive uma ponte que liga essa cidade á outra chamada São Felix construída por ordem de Dão Pedro II e também museus muito interessantes. Em breve farei um post só sobre Cachoeira, se não irei falar sobre muitas coisas e não é esse o assunto do post. Voltando á viagem, ela demorou mais ou menos 50 minutos (tem vezes que demora uma hora) e foi bem tranqüila. Á pedido de minha irmã, fui na frente com o motorista e por conta disso tive que agüentar sua cara feia olhando para mim. De vez em quando ele parava pra pegar novos passageiros, a maioria foi pra uma cidade bem perto de Cachoeira, a Conceição de Feira.
Depois dos 50 minutos enfim cheguei na cidade. Não vou falar que não a conhecia porque já tinha ido lá há alguns anos atrás levar um trabalho pra minha irmã (sim ela também estuda na UFRB). Só não sabia onde era a faculdade, o que não foi difícil de resolver pois a van parou do lado dela.
A faculdade nada mais é do que um prédio grande amarelo com janelas antigas também grandes pintadas de verdade com uma porta central por onde todos entram. Não tenho certeza, mas suponho que seja uma das construções antigas da região aproveitada pelo governo para fazer a faculdade. Quando entrei algumas pessoas diferentes ficaram me olhando e minha nova missão era agora achar a sala. Tinha um mural imenso com o número delas. Quando achei a minha fui direto procurar, mas não sabia por onde começar. Existem dois pavilhões muito grandes e todos com mais de um andar, onde estão as salas e a parte da coordenação. Só consegui acha-la com a ajuda de uma menina que mostrou a direção da mesma pra mim.
Quando entrei na sala muitas pessoas já estavam lá. Não conhecia ninguém claro, mas não ia imaginar que viriam de estados tão diferentes. Eu fiquei impressionado. Há pessoas do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Pernambuco, Goiás e Goiânia. E elas por incrível que pareça são a maioria da turma. Os poucos baianos, são no máximo seis dentre eles dois da minha cidade. Dentre esses dois há uma menina que estudou comigo no ensino médio, fiquei muito feliz de poder ter alguém conhecido lá. A mistura de sotaques, os jeitos das pessoas, o modo come se comportam foi muito interessante de ser visto. Gostei muito de todos, são bem simples e foram muito corajosos de vir pra cá sem conhecer exatamente nada. Não sei se teria essa coragem. Nesse dia tivemos duas aula de Fundamentos da Filosofia e uma breve apresentação da aula de Sociologia. Gostei bastante dessas aulas, bem interessantes. Destaque para o professor de sociologia que é Italiano e nos pediu (sim no primeiro dia) pra fazer uma relação dos PALAVRÕES que mais usamos no nosso dia-a-dia e classifica-los. Eu nunca imaginei que um professor iria pedir isso no primeiro dia, ainda mais isso! Mas por trás dessa idéia maluca há muito conteúdo que foi explicado nessa semana. O professor de filosofia fez alguns comentários sobre o que iremos estudar ao longo do ano e me pareceu ser uma pessoa legal também. As últimas aula não tivemos não sei por que, mas foi bom pois ficamos conversando e nos conhecendo melhor. Nesse tempo aproveitei também para conhecer a faculdade, as outras salas, a biblioteca que por sinal é muito bonita e aconchegante. Confesso que esperava mais, porém por ser algo público acho que está em ótimo estado e de bom tamanho, mas nela há muito que ser feito, ainda mais para meu curso de cinema. Lá não tem os filmes que precisamos ver nem uma sala específica pra isso.Depois quando deu o horário do término da aula me despedi dos colegas e peguei a van de volta pra minha cidade. Assim foi meu primeiro dia de aula na universidade. Foi muito além de minhas expectativas, do que eu achei que iria ser. Lá o ambiente é diferente, as pessoas são diferentes, as aulas são diferentes é tudo muito diferente do colégio e das coisas que estava acostumado. Todos estão fazendo o que gostam, para se tornarem aquilo que sonharam para suas vidas, sem aquela obrigação do colégio, de estudar matérias totalmente chatas e que nem servem para o que queremos seguir. Lá todos se vestem como querem, usam o que querem e são mais maduros. Os pensamentos já não são os mesmos, os objetivos são outros e caminhos certamente a serem percorridos.
Lógico que fiquei com uma saudade imensa do meu colégio, dos meus amigos, dos meus professores e de todas as pessoas que eu mantive contato por muitos anos. Pessoas com quem passei muitos momentos, bons, ruins, engraçados.Pessoas que mostraram o verdadeiro sentido da palavra amizade e me ensinaram muito.É triste saber que todos agora estão em lugares diferentes, seguindo seus rumos em busca apenas da felicidade. Não sei quando nem como iremos todos nos ver juntos novamente, mas de uma cosia tenho certeza: nossa amizade nunca irá acabar.Foi tão triste me despedir dos meus amigos do cursinho, pessoas que eu ja estava há algum tempo conversando sobre tudo, sobre essa jornada que é a vida de estudante e deixá-los agora lá esperando suas vezes chegarem. É, a minha chegou e agora estou nessa nova etapa, em busca dos meus sonhos, de ser feliz.

[espero que tenham tido paciência para ler tudo rsrs. As fotos acima são de Cachoeira e da Universidade, em breve farei mais posts sobre o curso e sobre a cidade,muitas coisas para contar :)]

Sonhos de Évila

22 de mar de 2010
Évila caia repentinamente rapidamente num mundo de abismos por entre galhos árvores os ventos descendo seu medo crescendo o frio chegando a água gélida do mar. De repente tudo ficou azul. Seu corpo afastava-se da superfície sendo empurrado por uma força estranha que vinha não se sabe de onde e aquela sensação de frio arrepiava-o frágil, agora inconsciente naquele lugar distante. Na sua escuridão, Évila sonhou com seus sonhos e com quem faziam-nos realidade, os rosto alvos daqueles que amavam pareciam-lhes familiar a medida em que desapareciam aos poucos sendo substituídos por diferentes pensamentos, os quais pareciam mais claros do que nunca. As profundas mágoas não hesitaram em aparecer, sinuosas, ingratas naquele momento de desprovida incapacidade de querer ser dona de seus atos, mas suas lágrimas já estavam rolando pelo rosto enquanto corria daquele ser que um dia tanto amou e a fizera sofrer por meros ciúmes e falsas promessas. A imagem borrada de seu rosto vinha de encontro ao dele que dizia palavras que não queria ouvir. Parecia que tudo estava branco, enevoadas montanhas surgiam gloriosas enquanto uma luta incessante por liberdade acontecia agoniante entre árvores grandes e tenebrosas. E pedaços de momentos passavam por entre seu corpo, lembranças que guardava dentro de si, no seu mundo que ela mesma ainda não conhecia. Eram palavras ditas, gestos mal elaborados, momentos que foram em vão. Um deles porém a tocou de modo mais forte, a lembrança daquele beijo puro de pessoas que se amavam.
Mas ela não percebia que quanto mais sonhava mais perto chegava de seu real sentimento. Quanto mais sonhava mais perto ficava daquele que feriu sua alma ao ponto de por amor entregar-se aos riscos do ciúme. E não percebeu que aquele lugar azul aos poucos tornou-se a expressão dele fazendo com que seus olhos fossem de encontrou aos seus.

Um cineasta!

14 de mar de 2010

Hoje fiquei sabendo que passei na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia no curso de Cinema e Audiovisual! Estou muito feliz, afinal estava tentando desde a primeira etapa do enem e não passava e hoje finalmente passei!
Eu amo cinema e tudo que é relacionado á artes em geral, como teatro, artes visuais etc. E viver nesse universo deve ser muito gratificante. Claro que aqui no Brasil é difícil viver de arte devido ao nosso " atraso", mas com dedicação tudo, tudo se alcança. Basta querer e ter perseverância.
Você deve estar pensando que eu sou louco ne? Queria arquitetura, depois enfermagem, zootecnia agora cinema. Na verdade gosto de todos esses cursos. Cada um tem algo que me atrai e me faz bem, mas ao mesmo tempo tenho certo receio de cursá-los, aquele medo que todos os jovens tem: se realmente é aquilo que queremos. Eu sei que amo arte, filmes, histórias, e se passei em cinema foi por que realmente tinha que passar. Só de imaginar em criar histórias, universos, mundos diferentes me empolgo muito. Não são raras as vezes em que ouço uma música e imagino o clipe dela em minha mente ou quando alugo filmes só pra reparar nos "efeitos especiais" haha.Vou cursar mas vou continuar estudando muito como sempre. Filmou?

Pra quem se interessar na área está aqui algumas curiosidades:

O curso de Cinema e Audiovisual com ênfase em Documentário formará um profissional com domínio das linguagens e ampla visão do campo estético e técnico do cinema e audiovisual, em particular, do documentário. O campo de atuação desse profissional compreende as áreas de produção, roteirização, direção, fotografia, edição/montagem, cenografia, figurino, animação, infografia e sonorização de produtos audiovisuais de diferentes gêneros e formatos, com destaque para o registro de narrativas documentais.
Campos de Atuação: O profissional poderá trabalhar nas produtoras de vídeo, redes de TV, em mídia impressa especializada ou em instituições de ensino, além do mercado cinematográfico.


:)

Me incomoda

12 de mar de 2010

A cidade onde moro ainda está longe de ser a mais desenvolvida do estado, não que ela seja a pior do mundo e não tenha nada de agradável, mas há muito que se fazer pra que um dia isso aconteça. Apesar de ser a segunda maior do estado da Bahia, Feira de Santana é muito pequena em comparação a Salvador por exemplo, e tem inúmeros problemas.

Um deles são as carroças. Sim. Parece absurdo dizer que uma cidade urbana tão grande e com uma frota enorme de carros nos dias atuais apresente carroças nas ruas. Embora esteja localizada no interior, Feira não é mais uma cidade pequena e rural. Porém as pessoas insistem em utilizar os pobres cavalos como meio de transporte, na maioria das vezes de cargas pesadas recebendo a cada instante chicotadas para que andem de forma mais ou menos rápida.

Se tem uma coisa que eu não gosto é que maltratem os animais.

Ainda mais quando querem tirar proveito deles, ferindo-os com aqueles apetrechos por entre a barriga e o rosto. E andar pelas ruas no calor que está fazendo hoje em dia deve ser insuportável para o animal. Mas as pessoas não pensam nisso. Não pensam que os cavalos são animais que sentem, que são serem vivos e não objetos. Elas só pensam em dinheiro.

Não vou dizer que não entendo essas pessoas. Na maioria são pobres e necessitadas, que só encontram esse jeito de poder trabalhar, de conseguir algum dinheiro pra seu sustento. Mas se elas tivessem uma boa educação e um bom emprego, talvez nada disso aconteceria, coisas que o governo infelizmente ainda não está fazendo acontecer.

Se bem que até a escola vem me causado espanto ultimamente. Semana passada tive uma aula de Espanhol no cursinho pré-vestibular. Foi a primeira aula de espanhol que tive por que sempre fiz Inglês no colégio mas sempre tive vontade de aprender essa língua. A questão é que no final da aula a professora passou um vídeo daqueles torneios que acontecessem na Espanha em estádios onde homens enfiam espécies de lanças nos touros pra que eles sangrem até morrer. Fiquei abismado não só com o vídeo mas também com a expressão da professora, como se aquilo fosse a coisa mais linda e natural do mundo. Lamentável.


Gente deculpem pelo sumiço, ultimamente estou sem tempo pra postar aqui por conta dos estudos, apesar disso estou preparando posts muito interessantes, quando ficarem prontos postarei todos. Abraços! A foto acima foi tirada por mim mesmo de dentro do carro nessa semana enquanto ia com minha mãe pegar o meu título de eleitor, muito triste.

Thinking

3 de mar de 2010

“Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas” (Clarice Lispector)

Achei essa frase na capa do meu módulo de redação do cursinho. Apesar de já ter lido várias frases da Clarice em textos do colégio, na internet e em outros lugares, nunca tinha lido essa. Achei bem interessante por que realmente no dias atuais muita gente “escreve” esmagando as entrelinhas, as verdades, as virtudes, omitindo as erros que são erros mais ninguém quer acreditar, escondendo seus reais valores.

Sobre o Big Brother Brasil 10

2 de mar de 2010



Eu jurei pra mim mesmo que não iria fazer nenhum post a respeito do programa Big Brother Brasil. Mas do jeito que as coisas andam é quase impossível deixar de comentar sobre esse programa que é um dos que mais tem audiência na rede Globo brasileira.

Eu particularmente só assisto quando não tenho nada importante pra fazer, assim como as novelas, jornais e outros programas da emissora. É uma futilidade ver um monte de pessoas amontoadas em uma casa em busca de um milhão e meio de reais, sendo falsas com todo mundo, dizendo coisas sem sentido, fazendo coisas ridículas e ainda por cima querendo dizer que não jogam.

Fala sério.

Por mais que eles não queiram admitir todos ali jogam. Ou será que um milhão e meio de reais não é nada pra eles? Tudo bem que tem pessoas que realmente são centradas, decididas e humildes , como a Angélica, mas mesmo assim não acredito que ela não tenha jogado pelo menos uma vez.

Se fosse um programa com participantes exclusivamente pobres e necessitados até que seria legal, mas como a globo adora ganhar audiência só escolhe as mulheres mais bonitas e os homens mais bonitos para participarem, e são pessoas que tem condição financeira.

Apesar disso nessa edição o que mais me chamou a atenção foi o fato de participantes homossexuais poderem entrar na casa. Num país onde o preconceito é gigantesco, uma emissora ter uma atitude dessas foi um grande avanço pra que toda essa discriminação um dia termine. E poder mostrar que essas pessoas são normais, humanas e que merecem nosso respeito foi uma das coisas que mais gostei.

Porém o Marcelo Dourado é um exemplo claro de homem homofóbico. Não é possível que em pleno século XXI uma criatura daquela ainda tenha essa mentalidade. Dizer que só os homossexuais transmitem a AIDS foi o cúmulo da burrice e do preconceito. Em certo momento um dos gays da casa estava conversando sobre sexo com os amigos e ele simplesmente disse que queria vomitar. E ainda tem gente que acredita que ele mudou, que ele respeita as pessoas, que ele tem coração. Grande coração querer quebrar os dedos de uma mulher e ainda por cima espancá-la.

É triste saber que apesar de tudo isso tem gente que torce pra ele. É triste saber que assim nunca iremos caminhar.
| Powered by Blogger | Todos os direitos reservados | Melhor Visualizado no Google Chrome | Topo